20
Qui, Jun
Portuguese English French Spanish

   Carta aberta aos bambuienses

 

 

      Ao andarmos  pelo centro da cidade,  passando pela Pça Cel.Torres  notamos  muito lixo  nos canteiros, piso muito sujo, todo engordurado devido à feira que ali é realizada todos os sábados ! Notamos  papéis, copos descartáveis, folhetos de lojas, embalagens de alimentos, resto de comida, e  sacolas plásticas que prejudicam muito o meio onde vivemos.!

      Percebemos que os causadores desse problema são os próprios consumidores. A maioria dos  lojistas,   feirantes , vendedores, ao encerrar suas atividades, juntam seu lixo e os colocam nos pontos de coleta, o que   de certa forma diminui um pouco  o  lixo descartado! .

   Por outro lado, a maior parte dos consumidores não têm o bom senso e a consciência de que ali, a Pça Cel Torres , o Cartão Postal da cidade ,  deveria   ser  um ambiente que todos  deveriam ter o maior carinho  pela limpeza ,para que ela fique limpa e bonita!

   As pessoas  jogam lixo como : copos descartáveis de milk shake   sem ressentimento algum no chão e nos canteiros , sem falar .que  o  problema  maior também  são os panfletos, muitos deles   quando não  interessam às pessoas  são jogados  de imediato no chão.

    No meu pensamento , a forma do educar dos pais sobre  a educação ambiental é importantíssima  para que seus filhos  tenham  uma noção do que é certo e errado!  É óbvio que se os pais reprimirem   seus filhos, eles aprenderão que jogar lixo nas ruas é errado, é por isso que estão sendo chamados a atenção!  Não só em casa, mas também nas  escolas essa conscientização de educação ambiental   deverá    ser constante , por parte dos professores , diretores , e funcionários .

 Percebemos  que hoje em dia, há um certo desleixo em relação a educação ambiental.   Uma  das soluções para todo esse impasse pode ser simples é  reforçar a educação investindo mais nas escolas!

Por isso , no dia 05 de Junho , Dia do Meio Ambiente ,tomei a liberdade    telefonando as minhas amigas diretoras das escolas locais  que conscientizassem  seus  estudantes na limpeza de nossa querida Bambuí  ,através  da Campanha  de  limpeza ,criada pela equipe do Jornal da Canastra acesse o link para ver o vídeo:

                        9mC5vgx9U&fbclid=IwAR1_1nNlr4DmkPyMiDTL5dO-yAZATn3RdZaGO_8LxnqYYJy1J9W5TYj1AWQ

Mantenha Bambuí limpa !

Jogue lixo no lixo !

     Percebemos  que a prefeitura se  preocupa  muito com o problema de limpeza  da cidade recolhendo diariamente o lixo, através de uma empresa de terceirização contratada ,e agora cobrando  a limpeza e capina  dos lotes vagos  pelos seus donos , que em caso contrário , sofrerão uma multa !

  

 Seria  o ideal que  a prefeitura  faça uma placa com os dizeres :

- “Não jogue lixo na praça, sujeito a multas.”,  para colocar nos canteiros da  praça;  

- Aumentar o número de lixeiras nas ruas com maior índice de lixo;

 -Investir na fiscalização;.

São métodos que colocados em prática darão bons  resultados!

 E acima de tudo isso, nós como cidadãos honestos, devemos ajudar a zelar pelo meio onde vivemos!

 Conscientizem-se, meus conterrâneos e   lembrem-se que  a nossa Pça Cel Torres , é o cartão Postal da cidade, que  é um lugar onde você ,suas crianças  e  visitantes  frequentam e precisa  ter  um ambiente agradável , limpo, florido  e bonito !  

Vamos todos participar da Campanha de limpeza de nossa querida Bambuí:

Mantenha Bambuí limpa!

Jogue lixo  no lixo!  

Ação faz parte do propósito do app de expandir os rumos da leitura no Brasil

 


Para garantir o acesso gratuito, os estudantes devem curtir a página do Esens no Instagram e enviar, via DM, uma selfie onde aparece o seu rosto e a carteirinha de estudante com a data de validade visível. Depois de recebida a mensagem, o estudante receberá um código para acessar o aplicativo de forma gratuita.

 

Como funciona o Esens

Sobre o funcionamento do aplicativo, Elizaveta explica que a mensagem principal das obras é resumida em um áudio de até 15 minutos, feito por uma equipe com especialistas em comunicação, linguística e tradução.

 

Todos lêem os livros originais e fazem um resumo de sua essência. Em seguida, as visões são compartilhadas para que seja possível extrair a ideia principal do livro e assim passar de forma dinâmica para o aplicativo, que pode ser acessado em qualquer lugar, ajudando o usuário a economizar tempo e dinheiro enquanto aprende algo novo para acelerar a sua carreira, matar uma curiosidade ou, simplesmente, para relaxar.

 

Um app feito com um propósito

O grande diferencial do Esens, que será sentido em breve no mercado, é o propósito de sua criação. “Não estamos aqui para ser somente um aplicativo de resumo de livros. Nós queremos contribuir para a expansão dos rumos da leitura no Brasil. Aqueles que já lêem, vão conseguir priorizar melhor suas leituras a partir dos resumos e indicar mais livros para aqueles que gostariam de ler mais. Para os que não têm o hábito, vamos desenvolver um verdadeiro ecossistema de inclusão na leitura, a partir de resumos e áudios, que tem se tornado um formato cada vez mais popular” destaca Elizaveta.

 

App já conta com best-sellers

Com ao menos 30 novos livros adicionados a cada mês, o Esens já conta com alguns best-sellers em sua biblioteca, a exemplo do livro “Estratégia do Oceano Azul”. Fenômeno global que já vendeu 3,5 milhões de cópias no mundo todo, a obra ensina como investir em mercados inexplorados com base em um estudo de 150 movimentos estratégicos. Outra opção para quem já quer iniciar o uso do aplicativo aprendendo com as bibliografias mais indicadas no mercado, o título Homo Deus: A brief story of everyone who ever lived apresenta o mais recente pensamento sobre as origens africanas do Homo Sapiens e questiona o que nossos genes podem realmente nos dizer.

 

“Seja para aprender mais sobre liderança ou ciência, psicologia ou auto ajuda, estratégia corporativa ou política, o Esens sempre vai contar com um título que agrega informação e conhecimento ao usuário, contribuindo para a sua formação e tornando o acesso a conteúdos especializados mais palatável”, conclui Elizaveta.

 

O Esens já está disponível para download na App Store e Google Play.

 

Sobre o Esens

O Esens é um aplicativo que ajuda as pessoas a encaixar o hábito da leitura em seu dia a dia ao resumir em um áudio de até 15 minutos, de forma fiel ao conteúdo, a essência de grandes obras literárias não ficcionais. Com 400 títulos disponíveis até o final de 2019, as opções contemplam 15 categorias: história, negócios, finanças, economia, saúde, cultura, liderança, marketing, ciência, política, psicologia, autoajuda, relacionamentos, sociedade e tecnologia. Com um sistema de assinatura com planos mensais, anuais e lifetime, o aplicativo já está disponível para download na App Store e Google Play.

 
 
 
 
 
 
 
Desde os meus 13 anos de idade, quando iniciei   meus  primeiros conhecimentos da língua francesa aprendi amá-la e conhecer tudo que se relacionava com a França. Foi assim, um amor à primeira vista, quando o  professor e irmão salesiano Antonino chegara a Bambuí para lecionar a língua francesa, no Colégio Antero To-res, em Bambuí.

A minha dedicação pelo conhecimento da língua  francesa, passou a ser um desafio para mim, em aprender tudo que se relacionava à França. Passava horas e horas lendo e fazendo pesquisas em livros didáticos e de literatura, que descreviam o país. Foi assim, com esta dedicação total e carinho que aprendi a conhecer a sua: geografia, locais turísticos, cidades, museus, músicas, artistas e cantores da época que faziam sucesso! Jurava a mim mesma que um dia ainda conheceria a “Cidade Luz”.

Ficava encantada quando, o professor chegava à sala cumprimentando-nos:

-Bonjours les enfants?

A minha admiração e encantamento foi ainda maior quando aprendi a cantar o hino da França - La Marse illaise. Aquele hino não saia da minha cabeça. Parecia um disco estragado! Cantava o dia inteiro aquela música, até que um dia, finalmente a crise passou!

Em 2003, concretizei o maior sonho de minha vida: Conheci a França!

Foi com muita admiração e espanto ao pedir o taxista, que nos levava em direção ao Hotel, para uma estadia de quatro dias, que cantasse para mim o hino La Marseillaise.

-Desculpe-me madame, sinceramente não sei cantar o hino de meu pais!

-Então, com muito orgulho, eu cantarei.

O taxista ficou admirado por uma turista brasileira cantar o hino da França tão bem.

Foi neste espiríto de alegria e encantamento que  pisei no solo francês!

No primeiro dia de nossa estadia, após um tour pela cidade, na parte da manhã, disse a minha filha, Kelley que me acompanhava na viagem:

-Antes de qualquer passeio por Paris, iremos  visitar a Catedral Notre Dame.

Subimos  o Rio Sena de barco. Indescritível  foi  a beleza do trajeto até a catedral. Prédios antiguissímos e maravilhosos, assim como Notre Dame se erguiam, altiva, rodeados pelas águas do Rio Sena. Descemos do barco, chegando pelo lado sul. Atravessamos o imenso jardim até a  sua entrada principal.

Na praça Parvis, onde fica a entrada principal da catedral, encontra-se no pavimento uma placa de bronze que representa o marco zero, a partir do qual todas as distâncias das estradas nacionais francesas são calculadas. Diz uma lenda que temos que pisar lá para voltar outras vezes.

Pisei! Oxalá, algum dia,  um verdadeiro milagre me leve pela segunda vez à Catedral Notre- Dame!

O interior da catedral de Notre Dame é de extrema beleza! Sua nave imensa é iluminada por mais de 200 vitrais. Eles representam a expansão e consolidação definitiva da arte gótica em toda a Europa. Naquela época  os vitrais estavam no auge da expressão artística, eram uma espécie de ‘pintura’ monumental, ao contrário dos vitrais românicos que tinham de se adaptar às estreitas frestas e janelas impostas pela arquitetura. Os vitrais além de belos, são funcionais, pois através deles entram as  luzes.             

Os arcos internos, formando ogivas, dando a ilusão de maior altura da nave, que parece dirigir-se ao céu. É inevitável olhar para o alto! Fiquei ali boquiaberta, parada, querendo reter na memória aqueles momentos mágicos, sublimes de extrema beleza! Queria reter  na memória cada detalhe, cada relevo gótico por onde meus olhos alcançavam.

Lembranças me vieram a mente quando, Quasímodo ficara fascinado pelo  som maravilhoso de um dos famosos  sinos da catedral: Quasímodo é o personagem do filme, baseado no romance: ‘O Corcunda de Notre Dame´ do escritor francês, Victor Hugo.

A história conta que  o maior sino, um dos três que existem  em uma das torres: o Emmanuel foi instalado na torre sul , desde  1685. Suas badaladas marcam a passagem das horas durante o dia. Emmanuel também badalou para marcar a liberação de Paris do controle alemão, em 1944.

Testemunha dos mais importantes eventos na história da França, desde sua fundação, a catedral testemunhou o nascimento de 80 reis, dois imperadores e cinco repúblicas. Ela também assistiu, impassível, à participação da França em duas guerras mundiais.

Suas famosas gárgulas, que a protegem contra espíritos malévolos, viveram glórias e tragédias ao longo dos séculos: Notre- Dame foi saqueada e quase demolida durante a Revolução Francesa.

Notre Dame, dedicada a Maria, mãe de Jesus, um dos símbolos máximos da arquitetura gótica em toda a Europa começou a ser construída em 1163 e só foi concluída 180 anos depois. Em 1431, com as obras já concluídas, foi entre suas paredes que um menino de dez anos, de saúde delicada - Henrique Vl, da Inglaterra, foi coroado rei da França.

Em 1804, ao som dos tubos do grande órgão da catedral, Napoleão foi coroado imperador.

Em 1163, quando começaram a construir a catedral, Paris tornou-se um centro de grande desenvolvimento intelectual, espiritual e musical.

A escola musical (parisiense) foi muito influente. A partir dos manuscritos  encontrados, ela influenciou a música (que se fazia) em toda a Europa - na Espanha, Itália, Alemanha e Inglaterra.

Neste ano, os sinos menores, da torre norte - que não são originais, serão substituídos. Os originais foram derretidos durante a Revolução Francesa para a fabricação de bolas de canhão. Os substitutos, fabricados no século 19, eram desafinados.

Ao  terminar a visita, lágrimas de tristezas  e  alegrias   rolaram pelas minhas  faces  em agradecimento a Maria, Mãe de Jesus, por ter me dado a graça de conhecer Notre Dame. Sou uma pessoa abençoada, por reter em minha memória  imagens lindas, da mais famosa catedral do mundo: Notre Dame de Paris.
 
Autor: Nancy Gonçalves Dias, Jornal da Canastra


Resumo

A Educação Ambiental (EA) formal e não-formal é um instrumento eficiente capaz de promover atitudes e práticas ambientais voltados a preservação da saúde humana e ao meio ambiente. A partir dessa premissa este projeto de pesquisa teve como objetivo analisar a devolução das embalagens vazias de agrotóxicos em Bambuí/MG e pesquisar o nível de conhecimento dos estudantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais – IFMG - Campus Bambuí sobre a legislação, a devolução das embalagens vazias de agrotóxicos e apresentar propostas viáveis para resolver os problemas identificados, tanto da logística reversa, quanto na formação acadêmica dos estudantes. Para o desenvolvimento do projeto foram realizadas entrevistas com os cinco revendedores de agrotóxicos de Bambuí e uma pesquisa descritiva qualitativa estruturada com um questionário aplicado a 407 (25,59%) estudantes distribuídos em 12 cursos da Instituição de Ensino e articulado parcerias como o IFMG, IMA, IEF, Prefeitura e Câmara Municipal de Bambuí e Impacto Engenharia e Consultoria Ambiental. Demonstrado a importância ambiental na Bacia do Rio São Francisco e a participação das revendas, houve sensibilidade e atitudes dos revendedores para custear integralmente a construção do Posto de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos em Bambuí, contratado no valor de R$103.900,00. Para suprir os alunos sobre o tema, baseada na vida real de um ex-aluno da Instituição, foi produzida uma cartilha ilustrada intitulada “De Herdeiro a Sucessor Ambiental” incluída como capítulo 2 dessa dissertação, que dispõe sobre os agrotóxicos “venenos”, o destino correto das embalagens vazias, a legislação e todas etapas do projeto até o início das obras. Resultados gerais da pesquisa mostraram que o nível de conhecimento sobre a lei dos agrotóxicos e devolução das embalagens vazias são passíveis de reflexão institucional. Para processar os resultados foram utilizados o Microsoft Excel, Fisher e o Teste de Independência com estatística do teste: Qui-Quadrado (χ²) por questão e por curso com o objetivo de constatar se existe associação entre as variáveis idade x questões e questões x cursos a fim de duas variáveis qualitativas medidas na mesma unidade amostral. Também, foi utilizado o programa estatístico “R” e os pacotes ggplot2 e barplot para criação dos histogramas”. O resultado geral da pesquisa mostrou que (68%) dos estudantes entrevistados preocupam com o meio ambiente, (40%) não tem conhecimento da lei de agrotóxicos e destino das embalagens vazias, (40%) gostariam de conhecer mais sobre a lei, (79%) dariam destino inadequado às embalagens vazias, dentre eles o reaproveitamento, (68%) canalizaria, decantaria e destinaria as águas residuais nos rios e lagoas, (89%) acham importante a construção de um posto de recebimento de embalagens vazias em Bambuí. Já os estudantes dos cursos Bacharelado em Agronomia, Agropecuária Integrado ao Ensino Médio e Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio mostraram ser portador de atitudes e comportamentos diferenciados, possivelmente por ser área afim aos agrotóxicos e meio ambiente. Apoiado na Educação Ambiental o projeto se desenvolveu e extrapolou seu objetivo geral servindo de referência para outros projetos que possam emergir.  

Por Valdeci Rocha-Mestre em Sustentabilidade e Tecnologia Ambiental -IFMG -Campus Bambuí/MG Dissertação de Mestrado, acesso na íntegra:

https://l.facebook.com/l.php?u=https%3A%2F%2Frepositorio.bambui.ifmg.edu.br%2Findex.php%2Fmpsta%3Ffbclid%3DIwAR2Vx6qs5co8w63bDsVOkl8VyHHAZwb4gGCCNhGayH-5uIS3r0WlMMLYHgg&h=AT3F_2vA6tACCp8TX-IPCFHKwI80W8KOYwGYRat_trvJ8pZvX7guGdMoVGHlBneNbefbxaQPZrwOrgkqHLDP9imIDffJCz50uQTGKNpOsYmFD1PhQFsK9xL1xmLK90hPeA

Mais Artigos...

Subcategorias

Festival de Dança de Bambuí