07
Sáb, Dez
ptenfres

O Dia do Diretor, é comemorado em 12 de novembro.

Esta data celebra o profissional responsável em gerir e administrar as decisões da escola, colaborando para construir um bom ambiente para os professores, alunos e demais colaboradores dos colégios.

Para homenagear todos os diretores bambuienses, a equipe do Jornal da Canastra convidou o Diretor do IFMG , Rafael Bastos Teixeira para falar um pouco de seu trabalho à frente do IFMG , Campus Bambuí, MG.
Eis a entrevista! Confira!

Jornal da Canastra - Por favor, sua trajetória profissional

Rafael Bastos Teixeira
Trajetória Profissional:

Cursei pós-doutorado em Produção Animal (EM-BRAPA/ Gado e Leite). Sou zootecnista, mestre e doutor em Melhoramento Animal pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Cursei especialização em Gestão Pública pela Universidade Federal de Lavras (UFLA),
Sou especialista em Julgamento de Zebuínos pela Faculdades Associadas de Uberaba (FAZU).
Desde 2008 sou professor no IFMG- campus Bambuí. Participei de diversos conselhos dentro da administração do IFMG, como por exemplo, o Conselho Superior e o Colégio de Dirigentes. Realiza pesquisa e extensão em colaboração com a EMBRAPA, a FAPEMIG, o INEP, o CNPq e associações de produtores.

JCanastra-Como é estar novamente à frente do IFMG- Campus Bambuí como diretor pela segunda vez? É preciso ter um novo olhar sobre as questões demandadas pelo Campus?

Rafael Bastos - Agradeço a confiança depositada por toda a comunidade acadêmica, pois a segunda oportunidade de estar na direção geral do IFMG- Bambuí chancela um trabalho realizado com muita dedicação. Durante os últimos 4 anos nossa unidade mudou muito, e isso faz parte do natural dinamismo de uma instituição como a nossa. Por isso, um novo olhar é fundamental para que possamos avançar como uma instituição transformadora de vidas.

JCanastra-Quais são as prioridades de sua gestão? Há algum plano de mudanças em curto prazo?

Rafael -Nossa prioridade será continuar a transformar nosso campus em uma instituição baseada na pluralidade de ideias, além, é claro, de nos tornamos uma referência através da modernização das relações insttucionais, a qual envolve toda a comunidade acadêmica. Queremos que os nossos alunos possam estar preparados para encarar um mundo repleto de oportunidades e descobertas pela frente, e cabe à nossa instituição ampliar estes horizontes do saber.

JCanastra-Quais são os principais desafios que tange a humanização do ambiente escolar?

Rafael - A Educação se faz de forma coletiva, pelas trocas de experiências, diante das particularidades culturais. Isso é fundamental para que possamos criar um ambiente escolar realmente inclusivo, sendo o diálogo entre todos os atores envolvidos neste processo a chave para o sucesso institucional. A base do ambiente humanizado, dentro ou fora da escola, é o diálogo, porque é ele quem cria espaços mais justos.

JCanastra-Como intensificar a integração entre a Instituição e a Comunidade em que está inserida?

Rafael - Nossa instituição tem trabalhado constantemente nesta integração com a comunidade a qual o IFMG- Campus Bambuí faz parte, através de diversos projetos nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. Também destaco as parcerias com a Prefeitura Municipal de Bambuí, empresas da região e órgãos estaduais. Dentro do nosso plano de trabalho, gostaria de citar algumas ações em que iremos focar:
- Implantar a TV IFMG - Bambuí;
- Criar conteúdos audiovisuais para divulgação do ensino, pesquisa e extensão;
- Criar o Boletim do Campus;
- Criar o Programa de Inovação “Como Funciona”;
- Implantar a Web Radio;
- Criar página de Egressos do Campus;
- Implantar o Estúdio de EAD no Campus Bambuí do IFMG.
É importante ressaltar também sobre um grande sonho que começa a se concretizar, a nossa ciclovia, que irá facilitar e democratizar o trânsito das pessoas entre cidade e campus. Nos últimos 4 anos trabalhamos muito e faço meu agradecimento especial aos parceiros na construção deste importante projeto: Prefeitura Municipal de Bambuí, Bambuí Bioenergia e Canastra Ambiental. Tenho certeza que ao finalizarmos esta obra, as relações entre o IFMG e a comunidade bambuiense serão bem mais próximas.

JCanastra-Haverá alguma mudança na oferta de Cursos para o próximo ano?

Rafael - Estamos em uma fase de consolidação dos cursos existente em nossa unidade, e modernização dos mesmos. Nos últimos anos tivemos a abertura de dois novos cursos, o Técnico em Administração e o Bacharelado em Medicina Veterinária. No Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do IFMG qualquer um pode verificar quais os cursos que poderão ser abertos em nossa unidade no período de 2019 a 2023. Em nossa unidade temos propostas a nível de graduação, para a Licenciatura em Geografia e Licenciatura em Educação Física, e para diversos cursos a nível de pós-graduação (Lato Sensu e Stricto Sensu). Mas a abertura de novos cursos depende de contratação de servidores, recursos orçamentários e trâmites legais para suas efe-tivações. Por isso, temos muita cautela ao falar sobre novos cursos, devido a complexidade de fatores que envolvem a efetivação dos mesmos.

JCanastra-Considerando a oferta política e econômica do país, quais os desafios para manter, melhorar e consolidar a qualidade do ensino?

Rafael - A gestão da nossa unidade e das demais tem sido um desafio constante nos últimos anos. Neste ano de 2019, completamos 51 anos de instituição e temos provado que ela se fortaleceu ao longo do tempo. No que depender de nós, continuaremos alinhados com um projeto de país que envolve pensamentos e ações bastante complexos sobre o “fazer” Educação. Pensamos muito no futuro e estamos comprometidos com a formação de indivíduos respeitosos.
Aproveito para agradecer a toda comunidade acadêmica, que mesmo diante de um cenário nacional de incertezas e reduções de investimentos, contribuiu de diferentes formas no aprimoramento da nossa qualidade de ensino, na consolidação das atividades de pesquisas, além dos avanços nos trabalhos de extensão. Isto possibilitou o avanço dos nossos estudantes, nosso maior bem, para que pudessem trabalhar sua curiosidade esua busca pelo conhecimento, exercer o espírito investigador e expressar a criatividade que lhe fazem parte.

JCanastra-Qual é o Setor mais importante do IFMG, isto é a “menina de seus olhos” em que você dedicará uma atenção toda especial?

Rafael - Trabalhamos para que todos os setores sejam protagonistas em nossa instituição. Esta nossa forma de enxergar a instituição faz do IFMG-Campus Bambuí uma referência dentro da Rede Federal de Educacão Profissional, Científica e Tecnológica. Cabe à Direção Geral proporcionar um ambiente adequado e agradável para que todos os setores possam atuar de forma conjunta e exitosa. Este conjunto de ações institucionais visa a busca pelo conhecimento nas diferentes formas de aprender e entender este mundo. Por isso afirmo que os setores terão novos desafios pela frente em razão do que somos hoje e do que queremos ser.

JCanastra-Como é gerida a questão financeira no IFMG, Campus Bambuí?

Rafael - Nossa gestão é feita de forma a dar total transparência e publicidade ao nosso orçamento, o qual é construído de forma participativa através do Sistema de Planejamento Part-cipativo (SISPLAN). Ela segue os princípios constitucionais da administração pública: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Temos enfrentado dificuldades com a aprovação da PEC 241 e as constantes reduções orçamentárias desde o ano de 2014, o que limita nossas ações e gera insegurança em relação aos investimentos e à manutenção da estrutura existente. Apesar disso, temos trabalho de forma incansável pelo ensino público, gratuito, de qualidade e interiorizado, e pela consolidação do IFMG-Bambuí como centro de excelência em Ensino, Pesquisa e Extensão

.
JCanastra-Quantos alunos, professores, funcionários tem o IFMG - Campus Bambuí?

Rafael - Com a integralização dos novos cursos, deveremos chegar a 2300 alunos, 147 professores, 138 técnicos e 67 terceirizados.

JCanastra-Se quiser falar algo importante que não foi comentado, sinta-se à vontade para comentá-lo.

Rafael - Gostaria de agradecer ao Jornal Canastra pela oportunidade de falar um pouco sobre a nossa querida instituição.
Deixo o convite para que toda a comunidade venha ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais- Campus Bambuí para conhecer nossas diversas áreas de atuação.
Trabalhamos muito porque acreditamos que a Educação é a maior ferramenta capaz de transformar a sociedade.

JCanastra-Uma mensagem:

Rafael - “O educador se eterniza em cada ser que educa” Paulo Freire, finalizou o diretor Rafael Bastos Teixeira, ao Jornal da Canastra.

Professor Rafael Bastos, a equipe do Jornal da Canastra agradece o seu carinho e atenção por esta excelente entrevista!

O presidente Jair Bolsonaro assinou no dia (28) decreto que autoriza a concessão de licença para capacitação de servidores públicos federais para a realização de cursos conjugados com atividades voluntárias.

O objetivo é estimular a prática de trabalho voluntário no país.

No dia 28 de agosto foi celebrado o Dia Nacional do Voluntariado.

De acordo com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, a medida aprimora a Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoal e institui maior governança sobre as ações de desenvolvimento dos servidores públicos federais.

Em cerimônia no Palácio do Planalto, Michelle, que é presidente do conselho do Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado - Pátria Voluntária, listou ainda outras ações de estímulo ao trabalho voluntário.

Umas das ações é a instrução normativa, a ser editada pelo Ministério da Economia, que estabelece o trabalho voluntário como critério de desempate em seleções públicas.

Segundo a primeira-dama, no âmbito do Ministério da Educação, o trabalho voluntário será computado como crédito complementar nas instituições de ensino federais e estaduais.

Será feito ainda um trabalho de divulgação e promoção da Resolução nº 2/2018, do Conselho Nacional de Educação, que estabelece diretrizes nacionais para o voluntariado de estudantes no âmbito da educação básica.

"O Artigo 8 preconiza que os sistemas de ensino poderão utilizar os espaços e infraestruturas disponíveis para a realização das atividades de trabalho voluntário visando integrar os educandos às comunidades locais e ao entorno escolar", afirmou Michelle, em seu discurso.

Em julho, o Ministério da Cidadania lançou o Pátria Voluntária, que busca incentivar a participação dos cidadãos na promoção de práticas sustentáveis, culturais e educacionais voltadas à população brasileira mais vulnerável.

O trabalho voluntário, de caráter não-remunerado, é articulado entre o poder público, organizações da sociedade civil e o setor privado.

"O Estado, sozinho, não consegue resolver tudo, o trabalho voluntário fortalece muito a área social e é embalado pela solidariedade humana.

O ser humano é humano pela sua capacidade de cooperar, de não deixar as pessoas para trás, de trazer junto na construção de um mundo melhor para se viver", ressaltou o ministro da Cidadania, Osmar Terra, também presente no evento.

Para ele, as medidas adotadas pelo governo, partindo do funcionalismo público, vão fazer com que a mobilização chegue à área privada, "onde já existe um movimento, mas que pode ser maior".

O Dia dos Pais é comemorado anualmente no segundo domingo de agosto no Brasil.
Segundo alguns registros históricos, foi o publicitário Sylvio Bhering que, em 1953, propôs que fosse celebrado o primeiro Dia dos Pais no Brasil.
Na tentativa de atrair comerciantes a publicitarem no jornal "O Globo", o meio de comunicação difundiu a data, que rapidamente se tornou popular.
Inicialmente, Sylvio Bhering escolheu o dia 16 de agosto para comemorar o Dia dos Pais por ser o dia de São Joaquim (segundo a tradição católica, o pai da Virgem Maria, avô de Jesus Cristo).
Para que pudesse ser comemorada sempre aos fins de semana (quando supostamente os pais estão de folga e podem aproveitar o dia com os seus filhos), a data foi modificada para ser celebrada anualmente no segundo domingo do mês de agosto.
Nesta data, os filhos homenageiam e agradecem aos papais toda a companhia, suporte e carinho recebido ao longo de suas vidas.
Normalmente, neste dia, com presentes, mensagens, beijos e abraços, os filhos e filhas presenteiam seus pais, demonstrando todo o amor que sentem por eles.
Convidamos o professor Pedro Renato para uma entrevsista para passar suas experiências na educação de seus filhos .

Eis a entrevista .

Jornal da Canastra Professor Pedro Renato por favor , fale o nome e a idade de seus filhos.
Pedro Renato: Pedro Henrique: 18 anos e Luís Gustavo: 15 anos.

JC- O famoso psicoterapeuta e escritor Augusto Cury diz que devido a internet as crianças à partir de sete anos de idade estão muito bem informadas e devido a estes excessos de informações, ele descobriu. que nossas crianças são agitadís-simas, imperativas, repetem os mesmos erros, são desconcentradas. Ele diz ainda que os médicos do mundo inteiro estão confundido a Síndrome do Pensamento Acelerado com a Imperatividade. E que devemos educar nossos fi-lhos para serem pensadores e não "cegos".

JC- Professor Pedro Renato você concorda que as crianças e jovens de hoje têm mesmo esta desconcen tração aos estudos, são inquietos e desatenciosos? Você já lidou com este tipo de problema em relação aos seus filhos?
Professor Pedro Renato
Não há dúvidas que o volume de informações manuseadas pelas crianças e jovens, hoje em dia, é muito maior do que a pouco tempo atrás. Processar tudo que nos chega de informação é algo impossível, nesse sentido, percebo que estamos perdendo o foco e o aprofundamento em questões primordiais, como mais dialogo, mais convivência e interação com os filhos. Estamos vivenciando situações de informações absurdas que são assimiladas e repassadas como verdadeiras. O que nós pais e professores devemos nos pautar é em dar uma educação a nossas crianças e jovens voltadas a cidadania e com criticidade, capacidade de pensar, emitir juízo de valor e mudar o mundo a sua volta, se necessário. Vivi uma geração que poucos tinham acesso a tecnologias e até mesmo a brinquedos, para se ter uma ideia, tenho poucas fotos de minha infância e adolescência. Hoje, damos aos nossos filhos quase tudo que não tivemos, chega a ser um exagero, com isso, percebo pouco compromisso no cuidado com as coisas e na vontade para conquistar o que desejam.

JC- Dr. Augusto Cury diz ainda que os pais estão dando muitos presentes aos filhos e que isto mexem muito com o cérebro deles, fazendo com que as crianças exijam cada vez mais presentes e mais tecnologia, etc
Professor Pedro Renato - Acho que sim.

JC- Amor demais estraga os filhos?
Professor . Pedro Renato Amor demais não estraga nada, é sempre bom. O que estraga são os mimos, o t er sem merecer ou sem nenhuma contrapartida.


JC- Como é a sua relação com os seus filhos?

Professor Pedro Renato Acho que sou rígido, procuro ser o melhor pai possível, tento educá-los para uma vida digna, honesta, com respeito às pessoas, com participação ativa como cidadãos e com atenção aos valores cristãos.

JC- O que eles gos-tam de fazer?
JC- Pedro Renato - Eles gostam de jogar vídeo game e futebol, de músicas, de dormir, de estar com os amigos...

JC- Como você lida com os amigos deles?
Professor Pedro Renato - Procuro ser amigo dos amigos deles.


JC- Seus filhos respeita- o com algumas imposições?
Professor Pedro Renato Sim. Não aceito que eles desrespeitem os pais e avós, por exemplo.


JC- Há algum caso humorístico com algum de seus filhos?
Professor Pedro Renato Sim. Certa vez, todo empolgado, levei-os para assistirem um jogo de fu- tebol, no qual eu iria jogar. Logo no início da partida, cometi uma falta grave, que acarretou em minha expulsão do jogo. Chegamos em casa cedo, eles mais que depressa, foram contar a mãe que eu havia recebido um cartão vermelho, em tom de gozação...

JC- Seus filhos são emocionalmente equilibrados?
Professor Pedro Renato - Acho que são! Sabem conseguir as coisas com uma boa conversa, são receptivos e não têm crises de nervosismos. Eles também têm muita facilidade para fazer amizade.


JC - Frustações de seus filhos: Como você lida com este problema?
Professor Pedro Re-nato Sempre é difícil para todos, mas oriento-os que as frustações fazem parte da vida e que podemos crescer com elas.

JC- Conflitos entre os membros da família, conflitos intergeracionais. Com imposição de regras, normas e limites, bem como em re-lação a dependência/ independência , como foi lidar com alguns desses problemas com os seus adolescentes?
Professor Pedro Re-nato - Os conflitos sempre existem, não tem como escapar. Procuramos sempre resolvê-los com o diálogo, mas quando não dá, colo-camos as regras e até mes-mo imposições, é preciso que eles entendam que vivemos em sociedade, e como tal, precisamos seguir regras, temos direitos e deveres, se assim não for, não há como caminhar.


JC- Fuga de casa, uso de drogas, obesidade,bully, sentimentos de inferioridade, rebeldia, rejeição, etc. Investigar como pai como você reagiu a algum desses problemas?
Professor Pedro Renato temas bastante difíceis de tratar e enfrentar. Oriento-os sempre no sentido de não ofenderem ninguém, de procurarem respeitar as pessoas e que também saibam buscar seus direitos, mostrar suas indignações ou abusos contra suas pessoas.
Qualquer coisa que aconteça com o filho, o pai sempre sente muito. Pai e mãe só querem o bem aos filhos.


JC- Curiosidade se xual, conhecimento e informações, dificuldade na puberdade , orientação afetivo-sexual, atitudes frente ao sexo oposto, dificuldades interrelacionais, história de namoro, educação, informação, orientação sexual, como foi a sua reação frente a esses problemas?
Professor Pedro Renato - A sexualidade por mais que sejamos modernos, não é um assunto fácil de lidar com os filhos. Acredito que o respeito mútuo é a base para um bom relacionamento e que há um tempo certo para tudo, para brincar, estudar, namorar, noivar e casar-se.
Conversamos abertamente sobre doenças sexualmente transmissíveis e prevenção e das implicações de uma gravidez indesejada.

JC- Deixa aqui uma mensagem aos pais.
Professor Pedro  Renato. Ser pai e mãe é algo que carregamos pelo resto da vida, não existe ex-pai ou ex-mãe e nossos filhos precisam muito de nós, de nossos conselhos, orientações e principalmente exemplos. Basta seguir o que o mestre deixou:

“Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”, isso implica em respeitar, proteger, dar carinho, ser duro, orientar, não basta ser pai, tem que participar, finalizou o Professor Pedro Renato ao Jornal da Canastra.

Profesores Júlio e Adriana Giarola e as estudantes, Ana Flávia e Nathália , do IFMG

Apresentação do “Projeto Feira Livre de Bambuí” pelas alunas do IFMG: Ana Flávia Amaral Graduada em Engenharia de Produção IFMG - Campus Bambuí e Coordenadora Adjunta Geral no Crea Jr-MG, núcleo Bambuí e Nathália Vaz que foram orientadas pelos professores: Júlio Benfenatti e Adriana Vilamaior .
Nesta reunião que foi realizada, no dia 1º de julho de 2019, aás 18 horas, no IFMG- Campus Bambuí foram apresentadas várias propostas, bem como os resultados obtidos no ano de 2018.
Estiveram presentes o Secretário do Meio Ambiente Municipal de Bambuí: Oscar Von Bentizen, o vice-gerente da Feira, Elci Silva, as feirantes: Muriele de Oliveira, Joyci de Sousa Pio, Adriana Aparecida Pacheco Costa, o feirante José Valmei Florêncio, e Nancy Gonçalves Dias, do JCanastra.
Excelente reunião que foi dirigida pelos professores: Júlio e Adriana Giarola, cujo Projeto: “Feira Livre de Bambuí” tem como objetivo: priorizar, incentivar e alavancar os trabalhos realizados pelos feirantes.
A Feira Livre que já é uma tradição, desde o ano de 2010, acontece sempre aos sábados ,à partir das 6:00 horas às 12:00 horas. Têm 38 barracas onde os feirantes vendem produtos como: verduras, artesanatos, alimentos e outros.
“ Segundo Nathália Vaz , a fim de conhecer a organização e forma de gestão da feira foi realizado um estudo no ano anterior, que possibilitou identificar suas principais características.
Tal estudo consistiu na aplicação de questionários e entrevistas a fim de entender a visão de feirantes e consumidores acerca da organização, estrutura, ambiente e serviços ofertados na feira e, posteriormente, foram gerados gráficos para facilitar a interpretação dos au- tores. O projeto permitiu ainda conhecer o perfil do feirante e seus produtos co-mercializados, e teve papel importante na interação de consumidores e feirantes, pois deu voz a este primeiro público para que dessem sugestões para a feira. Foram observadas deficiências tanto na falta de divulgação, quanto na limpeza do ambiente e higiene dos produtos. Para que esta primeira insuficiência fosse reparada, foi criada uma página no Facebook a fim de promover a feira e suas novidades. Além disto, ao longo do projeto foram observadas carências em outros aspectos, e para entendê-las e resolvê-las foram criados um layout da feira e cartilhas com instruções para associados e novos associados da feira livre.
Para 2019, pretende-se cumprir os objetivos propostos para o projeto, que consistem em:
-Estudar estatutos e leis para conhecer a lei orgânica de Bambuí e de outras cidades de mesmo porte em que também ocorra feira livre.
-Definir o papel dos agentes envolvidos, conhecendo as responsabilidades dos feirantes e dos órgãos públicos.
-Apresentar e argumentar com os feirantes os papéis de cada agente envolvido através de reuniões.
- Buscar de apoio e divulgação a fim de chamar a comunidade para participar da feira livre
- Planejar o evento em comemoração aos 09 anos da Feira Livre de Bambuí.”

Parabéns aos professores e alunas do IFMG pelo excelente projeto apresentado!
Que ele venha contribuir para o progresso da nossa feira!
A Feira Livre de Bambuí também faz parte e é uma das prioridades do “Projeto de Ações” criado pela equipe do J Canastra para resgatar o Turismo em Bambuí!

Mais Artigos...

Subcategorias

Festival de Dança de Bambuí