23
Sex, Ago
ptenfres

 

Em 1920, um jovem esguio, simpático, corpo de atleta chegava em Tapiraí, uma pequena cidade do interior de MG. Fugindo de um noivado que não quisera assumir, aportou-se nesta pequena cidade onde já morava o seu irmão mais velho. Trabalhava com empilhamento de sacos do açúcar em caminhão. Ali, naquela pequena cidade conheceu uma linda jovem de nome Dorcelina e com ela se casou apressadamente, para livrar-se do compromisso de um noivado que ficara para trás, ao deixar sua cidade natal.
Logo vieram os filhos, como dizia minha mãe: -“uma escadinha de filhos!” Tiveram dez filhos.
Após alguns anos, e com a família criada, voltou-se para sua terra: São João Del Rey a procura de novas oportunidades de educação e melhoria de qualidade para a sua numerosa família. Já bem instalado conseguiu colocar seus quatro filhos, em um colégio Salesiano. Suas duas filhas, as mais velhas conseguiram aprender uma profissão que as sustentariam para o resto da vida! Alguns anos depois, sua filha, a mais velha casou-se com um jovem de Bambuí. Zozó, um pai extremoso, saudosista não quis ficar longe da filha e voltou para Bambuí, onde comprou a casa na Rua Dr. Dilermando. Alugou um cômodo, hoje, à rua Vigário Protázio, Cerrado onde colocou uma pequena mercearia. Negociou-se alguns anos neste local, até receber um convite do sr Geraldinho Cardoso para abrir uma mercearia, no Alto da Serra, onde havia muito movimento devido a cultura de café, ali existente”Depois de alguns anos retornou a Bambuí, onde adquiriu uma casa, com um cômodo para negócio e ali abriu uma mercearia à Rua Ezequiel Dias, esquina com Av Emanuel Dias. Negociou-se alí até aposentar-se. Infelizmente não conseguiu desfrutar-se de sua aposentadoria, e viera a falecer, vítima de um coágulo no pulmão.
Joaquim Antônio Gonçalves, conhecido pelo apelido carinhoso de Zozó, um pai carinhoso, trabalhador e muito honesto educou seus nove filhos: cinco mulheres e quatro homens com muito rigor, onde não aceitava nenhum deslize por parte se seus filhos. Graças à Deus todos foram bem educados, conseguiram também com seus esforços ser alguém na vida! Zozó, morreu aos 62 anos de idade , em 1986, deixando um legado de exemplos de honestidade e generosidade!
Neste momento, uma cena vem a tona lembrando- me o seu amor e generosidade pelos animais, naquela época:
Subia à Av Emanuel Dias, uma avenida muito íngreme, uma carroça de burro com uma carga bastante pesada, a ponto do burro subir a avenida com muita dificuldade e cair. O carroceiro batia muito no animal para ele levantar. Meu pai vendo aquela imagem de judiação com o animal, enfrentou o carroceiro, tomando dele a estaca com que batia no animal. O carroceiro de medo, simplesmente obedeceu-o, sem bater mais no animal, conseguiu levantá-lo com a ajuda de meu pai. Esta história repercutiu durante muito tempo entre a vizinhança, de um homem generoso que brigou por causa de uma animal!
Assim era meu pai, um homem caridoso e amado pela sua generosidade para com todos e com os animais!
Foi-se embora deste mundo, há trinta e dois anos! Parece muito, mas para mim, parece que foi ontem! Os anos se passaram, e a dor foi substituída por uma memória doce. A amarga saudade foi ficando cada vez mais sublime, mas a presença dele paira eternamente sobre mim! Há boas lembranças, há pequenos gestos, frases, pessoas, fatos, imagens, que me levam até ele!Todos os dias vivo estes regressos inesperados.
Revejo-o sempre em minha memória pesando mercadorias e com a manga da camisa arregaçada.
Neste domingo - Dia dos Pais, uma homenagem “in memóriam" ” especial ao meu querido e extremado Pai!
Que Deus o tenha em seus braços!
Que ele descanse em paz onde estiver!

No Dia dos Pais, o nosso carinho, amizade a todos os Pais bambuienses!
Que Sant´Ana abençoe a todos!

O “Jornal da Canastra”,em clima de festa comemorará 19 anos de existência, em abril brindando a população bambuiense e região com um maravilhoso espetáculo de Dança o: “11º Festival de Dança de Bambuí”


A partir do mês de abril, o “Jornal da Canastra” – um exemplo de comunicação impressa de qualidade e editorial se prepara para realização do “11º Festival de Dança de Bambuí”, como parte das comemorações de 19 anos de existência. Com um completo plano de mídia que contempla desde cartazes, internet, convite, inserções nas Rádios: Cidade AM, Sucesso Bambuí FM e Transamérica FM, a sua equipe de trabalho desenvolve ações para a divulgação deste grandioso evento que veio para ficar!


O “Jornal da Canastra” brinda seus parceiros, seus assinantes e seus leitores, a população bambuiense e região trazendo  o Ballet Jovem de MG , o talentoso bailalrino , paulistano, Well Oliveira , a excelente Escola de Michelle Saliba,de BH ,  e tantas outras escolas que virão de várias cidades brasileiras  e grupos profissionais de Dança para apresentações, no palco do COPEM, nos dias 27e 28 /04 de 2019


Jornal da Canastra um jornal muito conceituado na região que divulga o turismo, educação, eventos, meio ambiente da região do Circuito da Canastra há 19 anos, desde a sua implantação, cumpre com o objetivo que se propôs: divulgar, promover e melhorar o turismo e a cultura de Bambuí


“A diferença entre os demais jornais da cidade e região está no processo de uma comunicação mais sadia, mais alegre, mais jovial, com mais entretenimento. O “Jornal da Canastra” traz em suas páginas matérias de autoestima, matérias informativas alegrando o público que as saboreias prazerosamente!
Com uma comunicação mais leve, as matérias são escritas por articulistas com capacidade e com diferenciais em sabedoria e entretenimento.


Para explanar assuntos de moda ,está a articulista Mell Wooman ; política , turismo educação a jornalista Nancy Gonçalves Dias  .Explanação de festas e datas religiosas, o articulista, Dalmon Gonçalves. assuntos sociais e fechamento de cada edição fica a cargo do jovem Bruno Paulinelli


Com base em conceito moderno, a equipe do “Jornal da Canastra” apostou em tecnologia online implantando em 2002 o site: www.jornaldacanastra.com.br empolgam os bambuiense ausentes lá fora e para falar sobre tudo que se refere a a dança , o site #festival de Dança Recentemente ,a direção convidou o articulista, da cidade de Arcos MG, Wanderlei Paula de Brito que a partir da edição de abril escreverá artigos para os jovens O departamento de marketing promove anualmente o evento que já faz parte do calendário anual os Festivais de Dança.Para valorizar pessoas que trabalham pelo desenvolvimento e por uma qualidade de vida melhor de nossa terra promove, anualmente , em dezembro a lista os “Melhores do Ano”, além de patrocinar e apoiar atletas, músicos e artistas, trabalhando assim a imagem institucional do jornal .


Que Deus continue nos iluminando durante a nossa trajetória de trabalho para que possamos levar a todos os leitores excelentes reportagens!

E a equipe agradece a todos que cooperam para o sucesso do mesmo!
Até a próxima !

Amigas(os)  conterrâneas de Bambuí!

 

"Sonho que se sonha juntos torna-se real"

 

Venho até a presença de cada um de vocês ,convidá- las  a  marcar presença, no 11° Festival de Dança de Bambuí!

Este evento é  dedicado aqueles  que gostam da cultura da  dança! 

É  um evento   dedicado  à familia  bambuiense e cidades vizinhas! Um verdadeiro evento de entretenimento cultural e ,sem bebidas alcoólicas !

Venha com a  sua família , seus amigos (as) ,vizinhas , parentes para valorizar o que é bom em nossa Bambuí!

Venha . convida  também  suas  vizinhas   (os) e vamos juntos passar algumas horas agradáveis ,assistindo  belos  espetáculos de dança  jamais visto, em nossa Bambuí!

Vocês verão  belas apresentações  de dança em  várias  modalidades como: Ballet de repertório, Ballet Clássico , Contemporâneo , Dança de Rua , Dança de Salão, Hip hop. danças urbanas :como o folclore e tantas outras outras

Não deixe de assistir espetáculos  maravilhosos   em que cada noite de espetáculo é diferente do outro,  apresentações maravilhosas   de dança,  que  vocês  pagariam lá fora , um valor bem alto para assitir  ,e  o nosso 11° Festival tem entrada franca  !

O palco do  COPEM  receberá  belos espetáculos como : o Ballet Jovem de MG , o antigo Cia do Palácio da Artes , o bailarino clássico paulistano : Well Oliveira e tantas outras Cias de Danças, de mais  de  quinze 15 cidades de MGcomo  :  São Paulo, BH , Mateus Leme, Contagem, Divinópolis, Formig, Arcos, Iguatama, Bambuí, Luz, Araxá, Uberaba,  outros estados que vêm nos prestigiar com o seu carinho e mostrar o seu talento !

Que Bambuí seja  reconhecida lá fora também, por  eventos  sadios e culturais !

Venha  dançar e ser feliz!

Bambuí uma cidade aconchegante receberá  você de braços abertos!

 

 

 

Minas Gerais não havia ainda se recuperado do desastre de Bento Gonçalves, distrito de Mariana quando novamente, aconteceu a mesma tragédia, em Brumadinho! Assim, como em Bento Gonçalves: o “rio de lama” desceu morro abaixo engolindo pessoas, casas e tudo que se via pela frente!

Bento Gonçalves, e Brumadinho, depois da tragédia nunca mais serão os mesmos!

A Vale do Rio Doce, mostrou muita falta de compromisso com vidas humanas em Brumadinho. Ela deixou para trás um rastro de destruição, um crime, com centenas de mortes e desaparecidos, que poderiam ter sido evitados, se tivesse preocupado mais com a manutenção, segurança e fiscalização da barragem,mesmo porque nenhuma barragem tem 100% de segurança.Um crime que precisa ser punido com severidade e que poderia ter sido evitado, e que infelizmente, não foi!

Mesmo depois de três anos da tragédia em Bento Gonçalves, as vítimas lutam na justiça para receber suas indenizações. Infelizmente, pouca coisa foi feita para ajudar a população e o meio ambiente, e por incrível que pareça, a empresa avaliada em bilhões de dólares recuperou rapidamente o valor de mercado, depois da tragédia, onde o lucro continua operando em detrimento de vidas.

Depois desses “rios de lama”, outras barragens estão na lista de se romperem, dizem especilalistas! Elas precisam passar por fiscalizações mais rigorosas, para que não aconteçam mais tragédias ,dizimando pessoas, cidades e meio ambiente!

Talvez seja até o momento, de trocar as mineradoras por outras atividades econômicas para alavancar a economia desses distritos como: a cultura, o turismo, já que estas cidades possuem paisagens, locais de entretenimentos e natureza muita linda!

As tragédias de Bento Gonçalves e Brumadinho nos ensinam que não podemos aceitar que o interesse e a ganância financeira sejam mais importantes que vidas humanas! Elas ficarão para sempre na memória daqueles que viram o “rio de lama” passar em suas vidas!

Que Deus ilumine os nossos empresários que acham que a ganância financeira é mais importante que vidas humanas!

A equipe do Jornal da Canastra chora e manifesta sua solidariedade e pesar aos familiares das vítimas, trabalhadores e moradores da região atingida que vertem lágrimas pela perda trágica de entes queridos!

Que Deus conforte a todos!

Mais Artigos...

Festival de Dança de Bambuí