18
Seg, Nov
ptenfres

 

Nova clínica amplia o acesso da população aos cuidados de saúde e oferece atendimento completo - de consulta à cirurgia – com preço acessível e condições especiais de pagamento

 

Os moradores de Bambuí podem contar a, a partir do dia 2 de maio, com um novo espaço para cuidados com a saúde: a clínica Mais Baleia, unidade voltada para atendimento a pacientes particulares, com a chancela do Hospital da Baleia. Trata-se de um programa que oferece cirurgias de média e alta complexidade, a preços e condições de pagamento mais acessíveis para a população. Outro diferencial é a linha completa de atendimento, que contempla a consulta, pré-operatório, cirurgia, internação e pós-operatório.
Ao todo, a clínica vai oferecer atendimento médico-hospitalar em 12 especialidades (Cirurgia Bariátrica, Cirurgia Geral, Cirurgia Plástica, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Vascular, Colocação de Balão Intragástrico por Endoscopia, Coloproctologia, Estética (botox e preenchimento facial), Ginecologia, Mastologia, Ortopedia e Traumatologia e Urologia) e os médicos que atenderão na unidade são os mesmos do Hospital da Baleia.
A Clínica Mais Baleia vai funcionar no ViaShopping Barreiro e a escolha do local é estratégica, já que pelo local circulam 100 mil pessoas/dia provenientes de BH, Contagem, Betim e cidades vizinhas.

Mais Baleia

Desde 2016, pelo programa já foram realizados 958 procedimentos na unidade Saudade, situada no Hospital da Baleia. A expectativa é ampliar seu alcance beneficiando os moradores do Barreiro e região, com a expertise técnica e o corpo clínico renomado do hospital que é referência há 73 anos em Minas Gerais.

 

Enquanto as clínicas populares oferecem apenas consultas a baixo custo, o Mais Baleia abrange uma linha completa de cuidados: consulta, pré-operatório, cirurgia, internação e pós-operatório. A unidade Barreiro terá todos esses serviços, com exceção das cirurgias, que permanecem na unidade Saudade (nas dependências do hospital) devido à estrutura e equipe necessárias para tais procedimentos. Em caso de exames solicitados pelos médicos, o paciente poderá fazê-lo no próprio Hospital da Baleia, que conta com o Serviço de Apoio Diagnóstico, o SADT.

 

Os tipos de vírus influenza sofrem constantes mutações e, portanto, a composição da vacina muda anualmente.1-3

A vacina tetravalente de gripe com a composição de 2018 já está nas clínicas privadas.2

 

– A gripe (influenza) é uma infecção viral respiratória aguda e altamente contagiosa, sendo mais grave do que um resfriado comum, podendo levar a complicações médicas sérias.3,4,13 A doença pode afetar qualquer pessoa em qualquer idade, sendo facilmente transmitida através da tosse, espirro e contato próximo com uma pessoa ou superfície contaminada.3,24

A gripe é causada, principalmente, por quatro cepas do vírus influenza: 2 cepas A (H1N1 e H3N2) e 2 linhagens B (Yamagata e Victoria).2 E, como esses vírus estão em constante mudança de um ano para outro, novas vacinas precisam ser produzidas anualmente e por isso é importante se vacinar contra a gripe todos os anos.1-3 Anualmente, a composição das vacinas de gripe é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS).2 Para 2018, a OMS anunciou que houve modificação na cepa A H3N2.2,25

Atualmente, os Estados Unidos e a Europa passam por um dos mais intensos surtos de gripe com altas taxas de casos confirmados e hospitalizações.5-7, 26,27 De outubro de 2017 a 3 de março de 2018, os EUA tiveram 24.664 hospitalizações confirmadas por Gripe (Influenza).5 Já na Europa, desde outubro de 2017, foram confirmados 20.312 casos de gripe e 11.434 hospitalizações.6,7

No Brasil, conforme dados do Ministério da Saúde, o número total de casos confirmados de influenza até o final de outubro de 2017 foi de 2.412, sendo pacientes com uma mediana de idade de 45 anos8 – faixa etária que não é contemplada pela vacina oferecida no Programa Nacional de Imunizações (PNI).9,11 Dentre os casos de influenza, tivemos predomínio para o vírus influenza A (H3N2) com 64,5% e influenza B com 25,4%, sendo assim responsáveis por quase 90% dos casos.8 O estado com maior número de óbitos por influenza foi São Paulo, com 35,8% dos registros.8

“Aqui, no Brasil, o vírus da gripe circula o ano todo, não apenas no inverno e é muito importante a conscientização da população sobre a importância da imunização todos os anos.3 Uma pesquisa recente da GSK revelou que mais de 60% dos adultos brasileiros não estão com a vacinação em dia.10 E isso se comprova pelos casos confirmados em pessoas acima de 45 anos.8 Mesmo essa faixa etária não sendo contemplada no Programa Nacional de Imunizações, é importante que procurem se vacinar. As pessoas devem checar se fazem parte dos grupos de risco que podem se vacinar nos postos de saúde. Caso contrário, devem procurar as vacinas na rede privada”9,11, afirma a Dra. Bárbara Furtado, gerente médica de vacinas da GSK.

Mesmo em períodos de grande sofrimento as pessoas não devem se deixar abater, diz monge
Na opinião do monge Luís Carlos de Mello, da Happy Science, a fé deve sempre alimentar a esperança de dias melhores e até mesmo de cura diante de doenças graves e aparentemente incuráveis.

Quem já não teve uma desilusão amorosa, não perdeu dinheiro em um negócio, ou não sofreu dissabores no trabalho?

Dizem dois provérbios muito populares que "não há mal que dure para sempre" e que "só não há jeito para a morte". Mesmo na hora de deixarmos este mundo há a certeza, para quem tem fé, de que não é o fim, mas o retorno para o mundo celestial. A mesma fé deve sempre alimentar a esperança de dias melhores e até mesmo de cura diante de doenças graves e aparentemente incuráveis. Ditos populares existem aos montes e "a fé é a última que morre" é outro que faz muito sentido.

É certo que as pessoas não devem se deixar abater pelos períodos de intenso sofrimento que enfrentam ao longo de sua caminhada. "Todas as tardes, o sol desaparece no horizonte e se ergue novamente, sem falta, depois de umas dez horas de escuridão. Então, não há razão para duvidarmos de que ele se erguerá amanhã, depois de amanhã, e assim por diante", diz o autor e mestre japonês Ryuho Okawa no livro A Mente Inabalável.

Okawa argumenta que algo semelhante ocorre em nossas vidas. "Depois de qualquer dificuldade ou período de sofrimento, você pode ter certeza de que o sol voltará a brilhar. Quando estiver passando por dificuldades ou for atingido por alguma dor no corpo ou na alma, procure olhar calmamente para si mesmo pela perspectiva de outra pessoa, e considere se alguém mais já enfrentou esse mesmo problema. As pessoas costumam pensar que suas dificuldades são enormes e que não há nada que possam fazer para resolvê-las, mas os problemas, na maioria dos casos, não são únicos. Problemas iguais já ocorreram antes e estão ocorrendo agora. Outras pessoas já passaram por angústias e sofrimentos semelhantes aos seus."

Que pais nunca enfrentaram problemas com seus filhos, que filhos nunca tiveram atritos com seus pais? Quem já não teve uma desilusão amorosa, não perdeu dinheiro em um negócio, ou não sofreu dissabores no trabalho? Ou qual família nunca enfrentou entre seus membros uma grave enfermidade, um acidente? Como se tudo isso não bastasse, encaramos hoje de modo crescente o problema das drogas, da violência, da insegurança, de casamentos desfeitos, de tantos casos de gravidez precoce, de imensas carências materiais em um mundo cada vez mais injusto na repartição de suas riquezas.

São mazelas que fazem parte de nosso dia a dia. Causam intenso sofrimento e exigem grande força interior e muita fé para serem superadas. O mais fácil seria desistir, entregar os pontos. É muito fácil sorrir quando tudo está bem. Mas é diante da dor e dos sofrimentos que nossa força interior e nossa fé são testadas. "Se você acredita em Deus quando as coisas vão bem, mas deixa de acreditar quando elas vão mal, sua fé não é autêntica. A fé está no íntimo de cada um. Nada que venha de fora pode destruí-la", afirma o mestre Ryuho Okawa.

Muitas pessoas passam a noite sem dormir, virando-se e revirando-se na cama, angustiadas por preocupações. Se você está passando por isso neste momento, reúna forças, procure ajuda. O que o angustia agora não vai durar para sempre. Tenha certeza de que sairá mais forte se encarar seus problemas, sem se deixar dominar por sentimentos de autopiedade, sem sobrevalorizar seus sofrimentos. É muito importante a maneira como conduz sua vida em tempos de tribulação. Sem desânimo nem tristeza, reconstrua sua força e sua fé inabalável em dias melhores. Como ferro derretido nas mãos do ferreiro, você se purificará e se aproximará mais de Deus. Nunca se entregue à autopiedade; ande por seu próprio caminho com tranquilidade e firmeza. Esse é o caminho para fazer o sol nascer de novo ao amanhecer.

É fundamental nunca se esquecer de que um dos caminhos para ganhar capacidade para enfrentar ou conviver com problemas é a prática da meditação. "Quanto mais você praticar a meditação para a paz interior, maiores serão sua capacidade e sua rapidez para resistir às influências negativas das circunstâncias externas." (Ryuho Okawa, em O Milagre da Meditação). Alimente sua força interior. Mantenha a fé em Deus, fonte da verdadeira felicidade.

*O monge Luís Carlos de Mello é consultor e tradutor da editora IRH Press do Brasil, que publica em português as obras de Ryuho Okawa. Um dos autores mais prestigiados no Japão, Okawa tem mais de 2.300 livros publicados, ultrapassando 100 milhões de cópias vendidas, em 29 idiomas. (www.okawalivros.com.br)

 

A Organização Mundial da Saúde publicou um relatório alarmante neste ano: a diabetes já afeta quase 1 em cada 11 adultos no mundo, e os casos passaram de 108 milhões nos anos 1980 para 422 milhões em 2014.

O Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, é o quarto país do mundo com maior prevalência da doença. Estima-se que haja cerca de 14 milhões de diabéticos no país, ou 12% da população adulta.

È preciso, em primeiro lugar, entender que há dois tipos diferentes de diabetes.

A do tipo 1 corresponde a mais ou menos 10% dos casos e atinge principalmente crianças e adolescentes. Neste tipo, segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes, Luiz Alberto Andreotti Turatti, sintomas como sede, excesso de urina e cansaço são comuns.

Já os outros 90% dos casos são de diabetes tipo 2. Atinge, normalmente, pessoas com mais de 40 anos e está relacionada à obesidade e sedentarismo.

Mas, diferentemente do que ocorre no tipo 1, as pessoas que sofrem de diabetes tipo 2 não costumam apresentar sintomas.

"A gente chama o tipo 2 de doença silenciosa. Ela é traiçoeira, porque a maioria das pessoas não tem sintomas, a não ser que a doença esteja descontrolada", diz Turatti.

 

Por isso, segundo Marcos Tambascia, professor especialista em endocrinologia da Unicamp, o conselho é que pessoas com mais de 45 anos façam check up regularmente para investigar se têm diabetes.

O censo sobre diabetes no Brasil, segundo ele, mostrou que 50% das pessoas afetadas não sabiam que tinham a doença. Muitas vezes elas só a descobrem quando as complicações da doença - como problemas de visão e nos rins - aparecem.

Ele afirma também que a melhor forma de prevenção é se manter dentro do peso e fazer exercícios físicos.

"Uma das principais causas do aumento de diabetes tipo 2 está associado ao envelhecimento, e como as pessoas vivem mais hoje, têm mais chance de ter diabetes. Sobre esse fator a gente não pode fazer nada. Mas os dois outros daria para prevenir: obesidade e sedentarismo", afirma.

"Teoricamente é fácil, mas a gente sabe que na prática é difícil", completa.

A BBC Brasil lista abaixo alguns sinais que podem indicar que você precisa procurar um médico:

1) Sede

 

Ter sede em excesso pode ser um indicativo de diabetes.

Isso acontece porque, com o aumento de açúcar no sangue, a pessoa passa a urinar mais, o que gera desidratação e, consequentemente, sede.

2) Excesso de urina

Pessoas com diabetes costumam sentir que estão urinando mais - levantam mais à noite para ir ao banheiro, por exemplo.

"Quando aumenta o açúcar no sangue, o rim começa a filtrar açúcar, elimina açúcar pela urina. E aí a pessoa perde água junto, e isso desidrata, dá muita sede", explica Tambascia.

3) Fome

Também causada pela desidratação e perda de glicose pela urina.

"Você perde caloria pela urina, perde açúcar", explica Turatti. Isso, segundo ele, dá fome, para o corpo recuperar calorias.

4) Tontura e cansaço

Esses sintomas não são específicos, mas são comuns em casos de diabetes.

 

Isso ocorre porque, quando o nível de açúcar no sangue está baixo, é como se as células não tivessem "combustível" suficiente para trabalhar.

Também pode ocorrer tontura devido à desidratação.

5) Perda de peso

Ocorre também como resultado da perda de calorias pela urina.

"Algumas pessoas têm um pouco de enjoo e um emagrecimento muito rápido, já que sem insulina você acaba queimando gordura", explica Tambascia.

6) Visão embaçada

O paciente pode ficar com a visão embaçada ou fora de foco.

"Isso ocorre porque você também tem uma alteração no fundo do olho dos pacientes que estão com açúcar muito alto", diz Turatti.

7) Infecções nas regiões genitais

Tanto homens quanto mulheres, segundos os especialistas, podem ter infecções na região genital.

"Elas aparecem por conta da alteração da imunidade que, muitas vezes, facilita infecção por cândida tanto no homem quanto na mulher", diz o presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes.

8) Idade e grupos de risco

 

Como a diabetes tipo 2 não costuma ter sintomas, a recomendação é que pessoas com mais de 45 anos façam um exame para detectar diabetes pelo menos uma vez por ano.

"A recomendação é que todo adulto com mais de 45 anos faça medida de glicemia uma vez por ano, que ele vá num clínico fazer o exame. Se tem antecedente de diabetes na família, deve fazer até antes, mais novo", explica Tambascia.

Pessoas que estão acima do peso também devem ficar atentas, já que a diabetes tipo 2 está ligada à obesidade.

 

  

 

Mais Artigos...

Festival de Dança de Bambuí