Turismo - Paraty PDF Imprimir E-mail

 

 

Chapada dos Guimarães

 

 

 

 

O tom verde da vegetação e o vermelho do arenito contrastam com o azul do céu! Aqui a natureza esplendorosa te abraça de forma poética. A vista é única, uma pintura real que só indo lá para entender.

O mirante está em cima da vegetação então você se sente parte disso. De fundo pode ver Cuiabá que fica a 70 quilômetros. Chapada dos Guimarães um antigo reduto de místicos e esotéricos. Os fósseis de conchas marinhos encontrados no alto das escarpas de arenito parecem provar que a Chapada, há 500 milhões de anos, era fundo de oceano.

O local também já foi coberto por florestas tropicais e habitat de dinossauros, até adquirir a paisagem atual.

Seu cartão postal principal é a Cachoeira do Véu da Noiva, com 86m de queda.

Mirantes naturais proporcionam vistas incríveis das planícies do Centro Oeste brasileiro e até do Pantanal. Esse cenário exuberante tem sido um dos lugares preferidos de místicos em busca de energias positivas.

59 nascentes,487 cachoeiras,02 sítios paleontológicos, 46 sítios arqueológicos, 157 km de paredão de arenito, várias cavernas, isso é Chapada dos Guimarães, Mato Grosso, que já foi o maior município do mundo em extensão.

Morada das almas aventureiras, das almas poéticas do tererê tomado na praça, da delicia do Furrundu e do pixé

 

Vamos conhecer Paraty sob o olhar de Ronaldo Campos

 

Nas minhas andanças pelo país, um lugar que deixou saudade e uma vontade tremenda de voltar foi Paraty, sul do estado do Rio de Janeiro. Drummond quando disse que o “Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade que se petrifica", Paraty é um desses lugares que petrifica momentos inesquecíveis. Aos pés da serra da Bocaina, brindada com a exuberância da mata atlântica e de quebra praias onde Deus caprichou um pouco mais na sua obra, respirando história e cultura Paraty é inigualável. Andar pelas ruas estreitas de pedras pés-de-moleque, faz voltar a um tempo que para se chegar lá, somente pelo mar ou pelas trilhas da estrada real. Paraty só foi redescoberta pelo turista com a construção da estrada Rio-Santos nos anos 70. Fundada estrategicamente próxima ao mar, tem suas ruas lavadas diariamente com a maré alta. Na época da sua fundação não existia rede de esgoto, assim tudo era jogado nas ruas e levado pelas águas do mar. Indo a Paraty é obrigatório o passeio de charrete pelo centro histórico que é fechado para o trafego de veículos automotores, o guia vai contando a história da cidade que foi construída pelos maçons que deixaram seus símbolos misteriosos nas paredes dos casarões coloniais.

Outro passeio imperdível é o da escuna Estrela da Manhã, que vai te levar a praias paradisíacas, verdadeiros paraísos, saboreando a bordo frutos do mar. Quando agente pensa que acabou, a cidade ainda oferece passeios nas cachoeiras do parque nacional da serra da Bocaina. Ir a Paraty é lavar a alma literalmente e abastecer-se do que melhor a natureza daquele lugar pode oferecer, depois é guardar na gaveta da saudade os momentos que passou lá.

-------------------------------------------------------------------------

Ronaldo Campos por este Brasil afora !

Andanças por este Brasil a fora!

 

Chalana ancorada no Rio Paraguai, Cáceres MT

- Canal da transposição do Rio São Francisco, em Alagoas

 

Entrada da igreja de Bom Jesus da Lapa, BA

Eu dentro da igreja, em Bom Jesus da Lapa BA

- Ronaldo Campos , em  em Ouro Preto MG

Parque eólico próximo a Jericoacoara, CE

 

Desde minha adolescência quando morava em Bambuí, acalentava um sonho de colocar uma mochila nas costas e sair sem destino conhecendo esse país continental. Posso dizer que realizei esse sonho, não da maneira que pensava, mas trabalhando, já percorri quase todos estados Brasileiros restando somente os estados da região norte, com exceção de Rondônia e Tocantins.

Convidado pela Nancy Gonçalves Dias, passo a contar aqui, nessa coluna: às viagens que tenho feito pelo Brasil. Tomando um tereré no Mato Grosso a um chimarrão, no Rio Grande do Sul, saboreando um acarajé na Bahia e uma carne de sol, no Rio Grande do Norte.

Vou tentar passar aqui a diversidade da nossa culinária brasileira, da cultura, dos sotaques das festas regionais etc. tudo que presencio e vejo nas minhas viagens. Pegar um avião é ir para uma praia no nordeste curtir o frio de Gramado no RS é sem duvida uma viagem inesquecível, mas pegar um carro entrar sertão afora, conhecer o cerne do Brasil, é isso que faço e gosto de fazer, vou tentar passar minhas experiências nas viagens, como foi andar 15 km pela areia onde antes eram as aguas do velho Chico da represa de Sobradinho na Bahia, conhecer uma cidade no Rio Grande do Norte onde faz três anos que não sai uma gota d’água nas torneiras, deitar nas areias de uma praia deserta no litoral do Ceará. Encantar-me com a arte dos artesões no Alto do Moura em Pernambuco, atravessar várias vezes em cima do rio São Francisco desde a Bahia a Alagoas, assistir uma festa de vaqueiros com seus aboios, entrar em uma igreja dentro de uma pedra, pedir a bênção ao Padre Cícero, em Juazeiro e se emocionar em Canindé, no Ceará, onde São Francisco é venerado pelos fieis.

Ter um aperto no peito quando fui questionado por um velho nordestino, querendo saber se realmente em Minas tudo era verde, ver na Serra da Capivara e no parque das Sete Cidades as marcas dos nossos antepassados. Talvez muitos podem achar que seja loucura viajar pelas entranhas do país, mas acho que" Pessoa acertou em cheio quando escreveu que, tudo vale a pena se a alma não é pequena,"

ou mesmo Raul que não queria "ficar sentado com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar".

 

Jornal da Canastra

Tel (37) 34311101

Capa de Agosto de 2017

TV Canastra

http://tvcanastra.wixsite.com/tvcanastra

Bambuí - MG -Tel (37) 34311101

 

 


-----------------------------

Publicidades

 

 

 

________________________

Videos aulas de inglês